Sociedade Brasileira de Mastologia se pronuncia sobre o risco de câncer no uso de anticoncepcionais

2 min. de leitura

Estudo publicado no New England Journal of Medicine, uma das mais prestigiadas publicações científicas do mundo, revela que o risco de câncer de mama é maior para as usuárias de anticoncepcionais em relação àquelas que nunca recorreram ao medicamento. O estudo também afirma que o risco é elevado na medida em que aumenta o tempo de uso tanto para as mulheres que usam atualmente quanto para as que utilizaram no passado.

A pesquisa foi realizada com 1,8 milhão de mulheres da Dinamarca, de faixa etária de 15 a 49 anos, que não haviam tido câncer, não haviam tido tromboembolismo ou sido submetidas a tratamento para infertilidade. A partir do registro nacional, os pesquisadores obtiveram dados individualizados a respeito do uso de anticoncepcionais orais, diagnóstico de câncer de mama e fatores que pudessem confundir as informações. As pacientes foram acompanhadas por um tempo médio de 10 anos e foram identificados 11.517 casos de câncer de mama. Houve um caso a mais de câncer do que o esperado para cada 7.690 usuárias de anticoncepcionais hormonais.

Quando os dados foram comparados com os de mulheres que nunca usaram anticoncepcionais, o risco relativo de ter câncer de mama foi 20% superior em relação às não usuárias. O risco foi de 9% superior a partir de um ano de uso e até 38% superior a partir de 10 anos. Isto significa, por exemplo, que se a chance de ter câncer de mama até os 50 anos é de 2%, para quem usou o medicamento por um ano o risco foi de 2,2%. E para quem usou por mais de 10 anos o risco foi de 2,76%.

Nâo houve algum tipo de anticoncepcional que não tenha tido relação com o aumento de risco, inclusive os DIUs com progesterona.

O estudo não avaliou o impacto na mortalidade geral por câncer. Sabemos que anticoncepcionais reduzem o risco de câncer de ovário, de endométrio e de câncer colorretal. Além disso, mulheres que usam anticoncepcionais são mais bem acompanhadas em relação às que não usam. Talvez, quando a avaliação da mortalidade por câncer for analisada, o risco de morrer por esta doença em geral possa ser inclusive menor.

Nem o estudo publicado e nem a Sociedade Brasileira de Mastologia recomendam que as mulheres interrompam o uso do anticoncepcional que estiverem utilizando. Baseado neste estudo e em estudos prévios sobre a relação do uso de anticoncepcionais orais e câncer de mama, a SBM sugere que cada usuária de anticoncepcionais avalie ou discuta com o seu médico sobre os riscos e benefícios desta decisão. Isso porque o aumento de risco é relativo, dependendo da idade e do tempo de uso.

Dr. Antônio Luiz Frasson
Presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia

Send this to a friend