Publicada nova recomendação sobre o rastreamento de câncer de pulmão em pessoas que não apresentam sinais ou sintomas

2 min. de leitura

Espera-se que tais mudanças dobrem o número de pessoas nos Estados Unidos elegíveis para a triagem por meio de tomografia computadorizada

O tabagismo é o principal fator de risco para o desenvolvimento de câncer de pulmão. Consideram-se indivíduos de alto risco aqueles que apresentam uma carga de consumo maior ou igual a 20 anos-maço e ainda fumam ou deixaram de fumar nos últimos 15 anos. Considera-se que 1 ano-maço seja equivalente a fumar 20 cigarros (ou 1 maço) por dia durante um ano.

Em 7 de julho de 2020, a Força-Tarefa de Serviços Preventivos dos Estados Unidos (EUA) (U.S. Preventive Services Task Force – USPSTF) publicou uma nova recomendação sobre o rastreamento de câncer de pulmão em pessoas que não apresentam sinais ou sintomas. Com base em novas evidências, o USPSTF recomenda que a triagem seja realizada anualmente com tomografia computadorizada (TC) em baixas doses às pessoas de 50 a 80 anos de idade com alto risco de câncer de pulmão, de acordo com o histórico de tabagismo.

Espera-se que tais mudanças dobrem o número de pessoas elegíveis para a triagem de câncer de pulmão, pois altera o início de 55 para 50 anos de idade, além de reduzir o número da carga tabágica de 30 para 20 anos-maço.

Ao expandir quem é elegível para a triagem, a nova recomendação torna-se especialmente útil para pacientes do sexo feminino e pacientes negros, potencialmente salvando mais vidas, uma vez que dados demonstram que a população negra tem um risco maior de desenvolver câncer de pulmão do que a população branca não hispânica, ainda que esta última fume mais cigarros.

Ensaios clínicos randomizados prévios, como o estudo NELSON, demonstraram benefícios do rastreio. Outras publicações com acompanhamento a longo prazo também confirmaram um benefício maior na redução da mortalidade diante de práticas de rastreio do câncer de pulmão nessa população de alto risco.

Referências
de Koning HJ, van der Aalst CM, de Jong PA, Scholten ET, Nackaerts K, Heuvelmans MA, Lammers JW, Weenink C, Yousaf-Khan U, Horeweg N, van’t Westeinde S. Reduced lung-cancer mortality with volume CT screening in a randomized trial. New England Journal of Medicine. 2020 Feb 6;382(6):503-13.

https://www.uspreventiveservicestaskforce.org/uspstf/

 

Send this to a friend