Osimertinibe é incluído no rol de procedimentos e eventos em saúde da ANS

< 1 min. de leitura

Medicamento usado contra câncer de pulmão de nãopequenas células localmente avançado ou metastático para pacientes EGFRm agora deve ser oferecido pelos planos de saúde  

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) incluiu mais um antineoplásico no rol dos medicamentos com cobertura garantida pelos planos de saúde privados: o osimertinibe, usado no tratamento de câncer de pulmão de nãopequenas células localmente avançado ou metastático para pacientes EGFRm.  

A utilização da droga, tanto em segunda linha quanto em primeira linha de tratamento para esse perfil de pacientes, já está bem estabelecida, uma vez que essas indicações foram aprovadas pela Anvisa em 2017 e 2018, respectivamente.  

entrada no ROL se baseou no estudo clínico randomizado de fase III FLAURA, que demonstrou superioridade na análise de eficácia e segurança de osimertinibe versus EGFR-TKIs de primeira geração em 556 pacientes com mutação EGFR positiva. O osimertinibe obteve uma sobrevida livre de progressão de 19 meses, enquanto os medicamentos comparadores alcançaram apenas 10,1 meses.  

Dois anos depois foi publicado o resultado contendo a taxa de sobrevida global, com resultado igualmente positivo para osimertinibe: 38,6 meses versus 31,8 meses.  

A inclusão na lista obrigatória da ANS passa a valer a partir de 1º de abril de 2021e todos os pacientes com o perfil adequado terão a oportunidade de usar osimertinibe com cobertura pelo sistema privado de saúde.

Send this to a friend