European Lung Cancer Virtual Congress 2021 aborda discussões e atualizações referentes às terapias disponíveis para o câncer de pulmão

2 min. de leitura

O congresso é especialmente destinado a oncologistas, radioterapeutas, cirurgiões torácicos, pneumologistas, radiologistas intervencionistas e patologistas

Durante os dias 25 a 27 de março de 2021 ocorreu o European Lung Cancer Virtual Congress (ELCC 2021), um evento que abordou diversas discussões e atualizações referentes às terapias disponíveis para o câncer de pulmão, assim como temas relacionados à prevenção, rastreamento e detecção.

O ELCC 2021 é um esforço colaborativo das sociedades multidisciplinares mais importantes da oncologia torácica, trabalhando em conjunto no avanço da ciência, educação e prática dos especialistas em câncer de pulmão em todo o mundo.

Dentre as interessantes apresentações, destaca-se o KRYSTAL-1 (NCT03785249), um estudo multi-coorte de fase I/II que avalia o adagrasibe (MRTX849) em pacientes com tumores sólidos avançados ou metastáticos, incluindo câncer de pulmão não-pequenas células (CPNPC), que apresentam mutação em KRASG12C previamente tratados com quimioterapia e anti-PD-(L)1.

Adagrasibe é um inibidor específico do KRASG12C, ligando-se covalentemente ao KRAS mutado e bloqueando-o em sua forma inativa ligada ao GDP. A célula, então, torna-se incapaz de enviar sinais de crescimento, resultando em morte tumoral.

As mutações em KRASG12C ocorrem em cerca de 14% dos pacientes com adenocarcinomas de pulmão, o subtipo mais comum de CPNPC, mas não há atualmente nenhuma terapia-alvo aprovada para mutação em KRAS.

No estudo KRISTAL-1, 79 participantes com CPNPC pré-tratados receberam adagrasibe 600mg 2x/dia (fase I/Ib e fase II). Eventos adversos relacionados ao tratamento mais comumente relatados (> 20%) incluíram náuseas (54%), diarreia (48%), vômitos (34%), fadiga (28%) e aumento de alanina aminotransferase (23%).

Entre os 51 pacientes avaliáveis ​​para atividade clínica, 45% (23/51) apresentaram resposta parcial e 26 tiveram doença estável. Em uma interessante análise na subpopulação de pacientes com comutações em STK11, observou-se que a taxa de resposta objetiva foi de 64% (9/14). Análise preliminar da farmacodinâmica e de biomarcadores em biópsias de CPNPC pré e pós-tratamento (n = 3) demonstram uma regulação negativa dos genes da via KRAS/MAPK, incluindo DUSP6 e SPRY4. Em indivíduos com tumores que abrigam comutações STK11, houve expressão mínima de transcritos imunes (por exemplo, CD4 e CD8) no início do estudo, e esses transcritos foram aumentados após o tratamento com adagrasibe, sugerindo uma resposta imune potencial à terapia.

Os resultados observados do adagrasibe são comparáveis ao do sotorasibe, outro inibidor KRASG12C, relatados no início deste ano na World Conference on Lung Cancer 2021. As mutações em KRAS são o driver oncogênico mais frequente nos pacientes com CPNPC e, finalmente, drogas eficazes estão surgindo para o benefício desse subgrupo de pacientes.

Referências:

1. https://oncologypro.esmo.org/meeting-resources/european-lung-cancer-virtual-congress-2021

2. Riely G, et al. KRYSTAL-1: Activity and Preliminary Pharmacodynamic (PD) Analysis of Adagrasib (MRTX849) in Patients (Pts) With Advanced Non-Small- Cell Lung Cancer (NSCLC) Harboring KRASG12C Mutation. European Lung Cancer Virtual Congress 2021; March 25-27, 2021. Abstract 99O_PR.

 

Send this to a friend