Estudo avalia comprometimento cognitivo atribuído à terapia quimioendócrina em pacientes com câncer de mama inicial

2 min. de leitura

Resultados indicam que a terapia quimioendócrina produz comprometimento cognitivo precoce, mas não sustentado, em relação à terapia endócrina isolada

Estudo publicado no Journal of Clinical Oncology observou, a partir de relato das pacientes, maior comprometimento cognitivo aos 3 e 6 meses em mulheres com câncer de mama inicial recebendo terapia quimioendócrina (CT+E) adjuvante versus terapia endócrina (E) sozinha, porém sem diferenças significativas entre os grupos a longo prazo.

Mulheres recrutadas no estudo TAILORx que apresentaram pontuação entre 11 a 25 Oncotype Dx foram aleatoriamente designadas para CT + E ou E. O comprometimento cognitivo relatado pela paciente foi avaliado em um subgrupo de 552 mulheres pelo 20-item Perceived Cognitive Impairment (FACT-Cog PCI), ou seja, uma escala proveniente do questionário Functional Assessment of Cancer Therapy-Cognitive Function, que foi aplicada no primeiro dia de avaliação (baseline) e em seguida nos meses 3, 6, 12, 24 e 36 de acompanhamento.

O desfecho primário foi a alteração no FACT-Cog PCI entre o baseline e o mês 3. Das 552 pacientes recrutadas, 454 tiveram dados de avaliação inicial e do mês 3, incluindo 218 que receberam CT+E e 236 que receberam E. Os valores do FACT-Cog PCI foram significativamente menores (indicando maior comprometimento) aos 3, 6, 12, 24 e 36 meses em ambos os grupos em comparação ao baseline.

As mulheres que receberam CT+E relataram comprometimento cognitivo significativamente maior desde o início do estudo do que aquelas que receberam E isoladamente em 3 meses (diferença média no escore ICP = -3,82, P <0,001) e em 6 meses (diferença média no escore ICP = -2,62, P = 0,02). Entretanto, não foram encontradas diferenças significativas entre o grupo CT+E e o grupo E aos 12 meses (diferença média = -1,73, P = 0,17), 24 meses (diferença média = -2,32, P = 0,09) ou 36 meses (diferença média = -1,60, P = 0,25).

Na análise de alterações da função cognitiva clinicamente importantes, definida como diminuição do PCI ≥ 6,4 pontos, as proporções de pacientes no grupo CT+E versus grupo E com piora da função foram de 36,7% versus 26,3% em 3 meses, 35,5% versus 30,7% em 6 meses e 37,7% versus 35,3% em 12 meses. Testes de interação para os desfechos avaliados entre o status da menopausa e o grupo de tratamento não foram significativos.

Esses achados indicam que a quimioterapia produz comprometimento cognitivo precoce, mas não sustentado, em relação à terapia endócrina isolada.

Referência:
Wagner LI, Gray RJ, Sparano JA, Whelan TJ, Garcia SF, Yanez B, Tevaarwerk AJ, Carlos RC, Albain KS, Olson Jr JA, Goetz MP. Patient-Reported Cognitive Impairment Among Women With Early Breast Cancer Randomly Assigned to Endocrine Therapy Alone Versus Chemoendocrine Therapy: Results From TAILORx. Journal of Clinical Oncology. 2020 Apr:JCO-19.

https://www.ascopost.com/news/april-2020/cognitive-impairment-with-adjuvant-chemoendocrine-vs-endocrine-therapy-for-early-breast-cancer-in-the-tailorx-trial/

Send this to a friend