Estudo avalia a correlação do estado nutricional dos pacientes oncológicos na admissão hospitalar com o risco de infecções nosocomiais

3 min. de leitura

Na admissão hospitalar, pacientes oncológicos demonstram alta prevalência de desnutrição de acordo com os critérios de GLIM, associando-se ao maior risco de desenvolver infecção nosocomial

Estudo recentemente apresentado na ESMO 2020 avaliou o estado nutricional de pacientes oncológicos hospitalizados, com o objetivo de determinar a prevalência de desnutrição de acordo com os critérios de GLIM (Global Leadership Initiative on Malnutrition) e entender sua associação com o risco de infecção hospitalar.

Este estudo observacional prospectivo foi realizado em pacientes internados no Departamento de Oncologia do Hospital Geral Universitário de Valência, de novembro de 2019 a março de 2020. Foram incluídos 107 indivíduos com idade média de 66 anos: 66,4% eram do sexo masculino e 70,1% apresentavam câncer avançado.

O estado nutricional foi avaliado nas primeiras 48 horas após a admissão. Os critérios de massa corporal ​​incluíram o índice de massa livre de gordura e o ângulo de fase (medido por impedância bioelétrica). A função muscular foi avaliada por preensão manual. A extensão da sarcopenia foi medida por valores de corte estabelecidos pelo EWGSOP2 (European Working Group on Sarcopenia in Older People 2).

Os pesquisadores observaram que 48 (44,9%) pacientes apresentavam desnutrição grave e 19 (17,8%) tinham desnutrição moderada de acordo com os critérios de GLIM no momento da admissão. Além disso, 77 (72%) indivíduos também apresentaram dinapenia (perda de força e potência muscular não relacionada a doenças neurológicas nem musculares) e 18 (16,8%) tiveram sarcopenia.

Em relação aos outros parâmetros do estado nutricional, o peso médio foi de 67,8 kg, o índice de massa corporal médio foi de 24 kg m², o índice de massa magra médio foi de 18,6 kg/m² e o ângulo de fase médio foi de 4,5º no total desses pacientes.

Durante uma internação hospitalar média de 13,9 dias, 43 (40,2%) pacientes desenvolveram uma infecção nosocomial, principalmente do trato respiratório (26 pacientes). Aqueles que desenvolveram infecção apresentaram redução significativa de peso, índice de massa corporal e índice de massa livre de gordura em relação à coorte geral de pacientes (p <0,05 em todas as comparações), mas o ângulo de fase não foi menor.

A infecção hospitalar ocorreu em 42,1% dos pacientes com desnutrição moderada e 52,1% com desnutrição grave, em comparação a 25% daqueles sem sinais de desnutrição (p = 0,035). A incidência de infecção nosocomial foi maior em pacientes com sarcopenia (61,1%), em comparação com 36% do total de pacientes hospitalizados (p = 0,044).

O tempo de internação foi prolongado em indivíduos com infecção nosocomial versus os pacientes em geral. O tempo médio de internação foi de 18,6 versus 10,8 dias (p <0,024). O tempo de internação não apresentou relação com o estado nutricional.

Os autores concluíram que a prevalência de desnutrição em pacientes hospitalizados por câncer é alta. A desnutrição de acordo com os critérios de GLIM e a sarcopenia estão associadas a um alto risco de infecção nosocomial. Uma avaliação nutricional adequada é essencial para a implementação de suporte nutricional a fim de evitar desnutrição e sarcopenia, diminuindo o risco de desenvolver infecções e, potencialmente, reduzindo o número de óbitos.

 

Referências:

Abad MN, et al. Impact of malnutrition according to the GLIM criteria in cancer patients admitted to hospital. Abstract 1810O . ESMO Virtual Congress 2020.

https://oncologypro.esmo.org/meeting-resources/esmo-virtual-congress-2020/impact-of-malnutrition-according-to-the-glim-criteria-in-cancer-patients-admitted-to-hospital

Send this to a friend