Enzalutamida melhora sobrevida e reduz progressão da doença em homens com câncer de próstata metastático sensível à castração

2 min. de leitura

Uso de enzalutamida representa uma opção sólida para o tratamento de homens com câncer de próstata em estágio avançado 

Dr. Fernando Maluf, oncologista clínico do Hospital Israelita Albert Einstein e da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, comenta sobre os estudos ARCHES e ENZAMET demonstrando que o uso de enzalutamida representa uma opção sólida para o tratamento de homens com câncer de próstata metastático sensível à castração (CPSCm). 

 

 

O ENZAMET, publicado no New England Journal of Medicine em 2019, avaliou o papel da enzalutamida em associação à castração em 1.125 pacientes. Parte desse total apresentava doença metastática de novo e outros haviam recorrido depois do tratamento local. Eles foram randomizados em: 

  • Grupo 1: castração + enzalutamida, com a possibilidade do uso de docetaxel 
  • Grupo 2: castração + terapia antiandrogênica de primeira geração, com ou sem docetaxel

Os resultados demonstraram redução no risco de morte em 33% em homens com CPSCm do primeiro grupo. Também houve redução no risco de progressão por PSA em aproximadamente em 61% e redução no risco de progressão clínica ou morte em 60%. Os dados também indicam que não houve benefício com o uso de docetaxel nesse cenário e, portanto, a recomendação é de uso de terapia de deprivação androgênica + enzalutamida sem docetaxel.

O estudo ARCHES, publicado no Journal of Clinical Oncology, corroborou com os dados do ENZAMET ao demonstrar que enzalutamida + terapia de privação androgênica reduziu significativamente a sobrevida livre de progressão.

“Os resultados desses estudos colocam a enzalutamida + castração como uma opção sólida, dentre as opções, como um segundo agente junto com a castração para a doença metastática de novo ou não de novo, ou seja, sincrônica ou metacrônica, independentemente do volume da doença para pacientes com doença metastática sensível à castração”, conclui. 

 

Referências: 

Armstrong, AJ et al. Phase III study of androgen deprivation therapy (ADT) with enzalutamide (ENZA) or placebo (PBO) in metastatic hormone-sensitive prostate cancer (mHSPC): The ARCHES trial. DOI: 10.1200/JCO.2019.37.7_suppl.687 Journal of Clinical Oncology 37, no. 7_suppl (March 01, 2019) 687-687. 

https://clinicaltrials.gov/NCT02677896 

Davis, ID et al. Enzalutamide with Standard First-Line Therapy in Metastatic Prostate Cancer N Engl J Med 2019; 381:121-131 

DOI: 10.1056/NEJMoa1903835 

https://clinicaltrials.gov/ct2/show/NCT02446405 

http://portal.anvisa.gov.br/informacoes-tecnicas13?p_p_id=101_INSTANCE_WvKKx2fhdjM2&p_p_col_id=column-2&p_p_col_pos=1&p_p_col_count=2&_101_INSTANCE_WvKKx2fhdjM2_groupId=219201&_101_INSTANCE_WvKKx2fhdjM2_urlTitle=xtandi-enzalutamida-nova-indicacao&_101_INSTANCE_WvKKx2fhdjM2_struts_action=%2Fasset_publisher%2Fview_content&_101_INSTANCE_WvKKx2fhdjM2_assetEntryId=5989171&_101_INSTANCE_WvKKx2fhdjM2_type=content

Send this to a friend