Dia Mundial do Rim: as inovações no tratamento cirúrgico de tumores do trato urinário

Dr. Marcelo Luz

Dr. Marcelo Luz

2 min. de leitura

Dr. Murilo Luz, uro-oncologista na BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo e no Hospital Erasto Gaertner, em Curitiba (PR), comenta sobre técnicas cirúrgicas que permitem uma maior preservação do órgão. Confira abaixo o vídeo em alusão ao Dia Mundial do Rim, celebrado em 11 de março.

O especialista esclarece as principais estratégias desenvolvidas nos últimos anos para manejo de tumores do trato urinário, preservando ao máximo suas estruturas. “O bom funcionamento dos rins depende de vários mecanismos, do ponto de vista clínico, principalmente em relação ao controle da hipertensão arterial e do diabetes, mas evoluímos muito também em estratégias cirúrgicas e endoscópicas “, comenta.

A primeira inovação que ele cita é a cirurgia robótica, que permite uma intervenção alternativa à nefrectomia radical. “O recurso trouxe um aumento na indicação das nefrectomias parciais minimamente invasivas. É um enorme benefício para pacientes com massas renais pequenas”, explica o especialista.

Além disso, com as ressecções segmentares de ureter, especialistas passaram a preservar os rins de pessoas com câncer do trato urinário alto, já que em alguns casos esse tratamento substitui a nefrectomia.

Outra novidade importante é a possibilidade fazer ablação de múltiplas áreas de lesões de ureter e pelve. “O tratamento já é aprovado nos Estados Unidos e eventualmente será liberado no Brasil nos próximos anos”, conta Dr. Luz.

Por fim, hoje existe um entendimento melhor da síndrome de múltiplos tumores renais. Por compreender melhor como eles se comportam, os profissionais estão realizando cirurgias menos agressivas. Dessa forma, é possível preservar a saúde dos pacientes em longo prazo.

“Isso tudo traz um benefício para esses indivíduos, devido à redução dos casos de insuficiência renal grave e da necessidade de diálise”, finaliza o médico.

Send this to a friend