Combinação de abiraterona mais prednisona e/ou radioterapia local em homens com câncer de próstata metastático de novo sensível à castração

2 min. de leitura

Estudo de fase III PEACE-1 foi apresentado durante o Congresso Mundial da ASCO 2021 

Durante o Congresso Mundial da ASCO 2021, foi apresentado o PEACE-1 (NCT01957436), um estudo de fase III que avaliou a combinação de acetato de abiraterona mais prednisona e/ou radioterapia local em homens com câncer de próstata metastático de novo sensível à castração (mCPSC).  

Homens com mCPSC de novo foram randomizados para tratamento padrão (TP), TP + acetato de abiraterona-prednisona (abiraterona), TP + radioterapia (RDT) ou TP + abiraterona + RDT. 

TP era inicialmente apenas terapia de privação androgênica (ADT); a partir de outubro de 2015, o uso de docetaxel foi autorizado como parte do TP (a critério do investigador até 2017; após a publicação dos ensaios LATITUDE e STAMPEDE, o acúmulo foi restrito a homens recebendo ADT + docetaxel). O ensaio tem dois desfechos co-primários de sobrevida livre de progressão radiográfica (rSLP) e sobrevida global (SG) com erro tipo I de 0,1% e 4,9%, respectivamente.  

 

Resultados:  

De novembro de 2013 a dezembro de 2018, 1173 homens foram inscritos (TP foi ADT + docetaxel em 710 pacientes e ADT sozinho em 463), idade média de 67 anos, alto volume 57%, baixo volume 43%. O acompanhamento médio é de 3,5 anos. Nenhuma interação foi detectada entre o efeito da abiraterona e o da RDT (p = 0,64), permitindo agrupar os braços da abiraterona para comparações.  

A rSLP foi significativamente maior no braço da abiraterona na população geral (HR: 0,54; p < 0,0001; medianas de 2,2 versus 4,5 anos) e na população ADT + docetaxel (HR: 0,50; p < 0,0001; medianas de 2,0 versus 4,5 anos). Sobrevida livre de progressão bioquímica (SLP incluindo progressão PSA como um evento) também favoreceu significativamente a abiraterona na população geral (HR: 0,40; p < 0,0001; medianas de 1,5 versus 3,8 anos) e na população ADT + docetaxel (HR: 0,38; p < 0,0001; medianas de 1,5 versus 3,2 anos). Os dados de sobrevida global ainda não são maduros.  

Os eventos adversos de grau 3 e 4 relatados em mais de 5% dos pacientes nos primeiros 6 meses na população ADT + docetaxel incluíram febre neutropênica (4,5% vs 5,4%), toxicidade hepática (19,7% vs 13%) e hipertensão (12,2% vs 8,6%) nos braços da abiraterona e controle, respectivamente.  

Os pesquisadores concluem que a adição de abiraterona ao ADT + docetaxel melhora significativamente a rSLP em homens com câncer de próstata metastático de novo sensível à castração, com cerca de 2,5 anos de benefício absoluto em medianas, e nenhuma toxicidade adicional significativa no curto prazo. 

Referências:  

  1. Fizazi K, et al. A phase 3 trial with a 2×2 factorial design of abiraterone acetate plus prednisone and/or local radiotherapy in men with de novo metastatic castration-sensitive prostate cancer (mCSPC): First results of PEACE-1. J Clin Oncol 39, 2021 (suppl 15;  abstr 5000). DOI:10.1200/JCO.2021.39.15_suppl.5000. 

Send this to a friend