ASCO GU 2021: confira a análise do maior estudo de biópsia líquida para câncer de próstata metastático resistente à castração

3 min. de leitura

A avaliação do perfil genômico (comprehensive genomic profiling, CGP) por NGS (next generation sequencing) do DNA tumoral circulante (ctDNA) fornece um método minimamente invasivo para identificar alterações genômicas e mecanismos de resistência em pacientes com câncer de próstata metastático resistente à castração (mCPRC) 

Durante o 2021 Genitourinary Cancers Symposium, foi apresentado um estudo que detectou as alterações genômicas tumorais, por meio do perfil genômico baseado em ctDNA, avaliando a concordância com as alterações genômicas baseadas em tecido.

O plasma de 3.334 pacientes com câncer de próstata avançado (incluindo 1.674 amostras de triagem de mCPRC dos ensaios TRITON2/3 e 1.660 amostras de CGP clínica de rotina) foi analisado através de NGS (next generation sequencing). Os resultados foram comparados com CGP de 2.006 biópsias de tecido de câncer de próstata metastático. A concordância foi avaliada em 837 pacientes com resultados de NGS de tecido (arquivado ou contemporâneo) e de plasma.

Resultados: 

Ao todo, 3.127 pacientes (94%) tinham ctDNA detectável. Observou-se mutação em BRCA1/2 em 295 pacientes (8,8%).

Na análise de concordância, mutações em BRCA1/2 identificadas no tecido ocorreram em 72 de 837 (8,6%) indivíduos, dos quais 67 (93%) também tiveram tais alterações detectadas pelo ctDNA. Vinte pacientes foram identificados apenas por meio de ctDNA, mas não em tecido, correspondendo a 23% de todos os participantes identificados com base no ctDNA.

O método revelou reversões subclonais de BRCA1/2 em 10 de 1.660 (0,6) amostras clínicas de CGP de rotina. Alterações do receptor androgênico, incluindo amplificações e mutações de hotspot, foram detectadas em 940 de 2.213 pacientes (42%).

Componentes raros de mutações, rearranjos e novas exclusões in-frame do receptor androgênico foram identificados. As vias alteradas incluíram PI3K/AKT/mTOR (14%), WNT/β-catenina (17%) e RAS/RAF/MEK (5%). Instabilidade de microssatélites foi detectada em 31 de 2.213 pacientes (1,4%).

No maior estudo de amostras de plasma de mCPRC realizado até o momento, os autores concluem que o CGP do ctDNA detectou as alterações genômicas observadas em biópsias de tecidos, com um alto nível de concordância para mutações em BRCA1/2. Além disso, o método também identificou indivíduos que podem ter adquirido alterações somáticas de BRCA1/2 desde a coleta do tecido de arquivo. O ctDNA revelou mais alterações genômicas de resistência adquiridas do que as amostras de tecido, incluindo novas variantes de ativação do receptor de androgênio. Portanto, a grande porcentagem de pacientes com rico sinal genômico a partir do ctDNA e a detecção precisa de alterações de BRCA1/2 dão a oportunidade para que a biópsia líquida seja um complemento clínico relevante para o CGP de tecido aos pacientes com mCPRC. 

 

Referências:  

  1. Tukachinsky H, et al. Genomic analysis of circulating tumor DNA in 3,334 patients with advanced prostate cancer to identify targetable BRCA alterations and AR resistance mechanisms. Abstract 25. 2021 Genitourinary Cancers Symposium. DOI:10.1200/JCO.2021.39.6_suppl.25

 

Aviso Legal: Todo conteúdo deste portal foi desenvolvido e será constantemente atualizado pela Oncologia Brasil, de forma independente e autônoma, sem qualquer interferência das empresas patrocinadoras e sem que haja qualquer obrigação de seus profissionais em relação a recomendação ou prescrição de produtos de uma das empresas. As informações disponibilizadas neste portal não substituem o relacionamento do(a) internauta com o(a) médico(a). Consulte sempre seu médico(a).

Send this to a friend