Sym015 demonstra segurança e atividade clínica em pacientes com câncer de pulmão não-pequenas células avançado com amplificação de MET ou deleção do MET éxon 14

3 min. de leitura

Sym015, uma mistura de dois anticorpos humanizados, desencadeia a degradação do MET por um mecanismo único com especificidade superior em comparação aos TKIs

Foram apresentados no ASCO 2020 Virtual Annual Meeting dados preliminares de segurança e eficácia de um estudo de fase 2 que avalia a droga Sym015 em pacientes com câncer de pulmão não-pequenas células avançado (CPNPC) com amplificação de MET ou deleção do MET éxon 14 (METAmp/Ex14∆)

O Sym015 é uma mistura de dois anticorpos humanizados, que desencadeia a degradação do MET por um mecanismo único com especificidade superior em comparação aos inibidores de tirosina quinase (tyrosine kinase inhibitors, TKIs).

O estudo de fase 1a Sym015-01 alcançou o objetivo principal de identificar a dose recomendada para a fase 2 como 18 mg/kg no dia 1 do ciclo 1, seguida por 12 mg/kg a cada 2 semanas. A fase 2a foi expandida para incluir pacientes com câncer de pulmão não-pequenas células (CPNPC) METAmp/Ex14∆ com base em resultados preliminares de eficácia. No congresso foram apresentados os resultados preliminares de segurança (n = 45) e eficácia (coorte CPNPC, n = 20) da fase 2a.

A coorte de expansão recrutou pacientes com CPNPC METEx14Δ (n = 12) ou METAmp (n = 8 definido como > 5 cópias de MET por NGS ou razão MET/CEP7 > 2.2 atualizado para ≥ 3.0 por hibridação in situ, incluindo 1 com METAmp+Ex14Δ). O status de MET do tumor foi confirmado centralmente e o ctDNA longitudinal foi analisado por Guardant360.

Até janeiro de 2020, 45 pacientes (idade média de 61,7 anos) foram tratados na fase 2a. A duração média da exposição foi de 3,8 meses (n = 45; variação de 0,4 a 22 meses). Eventos adversos (EA) emergentes do tratamento ocorreram em 93%, os relacionados ao tratamento (AERT) em 42,2% e AERT ≥ G3 em 13,3% dos pacientes. Nenhum paciente interrompeu o tratamento ou morreu devido ao AETR. Os AETR mais comuns em ≥10% foram fadiga (13,3%) e edema periférico (11,1%).

Dos 20 pacientes com CPNPC, 5 confirmaram resposta parcial (taxa de resposta geral [TR] de 25%; 2/8 METAmp e 3/12 METEx14Δ); 11 tinham doença estável (taxa de controle de doença [TCD] de 80%; 6/8 METAmp e 5/12 METEx14Δ); 2 apresentaram progressão de doença (2/12 METEx14Δ); e 2 não foram avaliáveis.

Dez pacientes com CPNPC eram virgens de tratamento com TKI para MET (7 METAmp e 3 METEx14Δ) e tinham 50% de TR e 100% de TCD (5 respostas parciais e 5 doenças estáveis; faixa de duração de resposta de 1 a 18,3 meses; duração de exposição de 1,5 a 22 meses). Dez pacientes com CPNPC tratados previamente com TKI para MET (9 METEx14Δ e 1 METAmp+Ex14Δ) com taxa de controle de doença de 60% (6 doenças estáveis; duração de exposição de 0,4-9,6 m).

A sobrevida livre de progressão (SLP) mediana foi de 5,5 meses no geral (IC 95% 3,5-9,7 meses). A SLP mediana para pacientes com CPNPC virgens de tratamento e pré-tratados com TKI para MET foram 6,5 meses (IC 95% 3,4-21,9 meses) e 5,4 meses (IC 95% 1,2-9,7 meses), respectivamente. A sobrevida global mediana não foi atingida nos subgrupos gerais ou no tratado previamente com TKI. Observou-se 89% de tecido tumoral METEx14∆ para concordância sanguínea (8/9 pacientes com CPNPC).

O Sym015 foi bem tolerado, com uma taxa de resposta semelhante ao TKI para METAmp/Ex14Δ em paciente com CPNPC virgens de tratamento; e parece atrasar a progressão da doença nos pacientes com CPNPC pré-tratados com TKI para MET.

Saiba mais:
J Clin Oncol 38: 2020 (suppl; abstr 9510). DOI:10.1200/JCO.2020.38.15_suppl.9510
https://meetinglibrary.asco.org/record/184811/abstract

Send this to a friend