Estudo ADAURA avaliou a eficácia e segurança do osimertinibe versus placebo (PBO) em pacientes com câncer de pulmão não pequenas células (CPNPC)

< 1 min. de leitura

Dr. Luiz Henrique Araújo, oncologista e pesquisador do Instituto Nacional do Câncer (INCA) e das Clínicas Oncológicas Integradas (Grupo COI), no Rio de Janeiro, destacou o estudo duplo-cego, randomizado, de fase 3 ADAURA (NCT02511106), apresentado durante o ASCO 2020 Virtual Annual Meeting.

Segundo o médico, este é sem dúvida o estudo mais importante para o tratamento adjuvante do câncer de pulmão que avaliou a eficácia e a segurança do osimertinibe versus placebo (PBO) em pacientes com câncer de pulmão não-pequenas células (CPNPC) estadio IB a IIIA com mutação em EGFR (EGFRm) após a ressecção completa do tumor e quimioterapia adjuvante, quando indicada.

O osimertinibe adjuvante é a primeira droga-alvo em um estudo global a mostrar uma melhora estatisticamente e clinicamente significativa em sobrevida livre de doença para esses casos.

O especialista também comentou sobre quais terapias já estão aprovadas no Brasil e como este estudo pode impactar na vida destes pacientes.

Se preferir ouça o nosso Podcast:

Referências:
Osimertinib as adjuvant therapy in patients (pts) with stage IB–IIIA EGFR mutation positive (EGFRm) NSCLC after complete tumor resection: ADAURA https://meetinglibrary.asco.org/record/191929/abstract

 

Send this to a friend