Darolutamida apresenta ganho de sobrevida global no câncer de próstata não metastático resistente à castração, segundo estudo ARAMIS

< 1 min. de leitura

Darolutamida apresenta ganho de sobrevida global no câncer de próstata não metastático resistente à castração, segundo estudo ARAMIS

Os resultados finais de sobrevida global (SG) do ARAMIS, um estudo de fase 3, randomizado, duplo-cego e controlado por placebo foram apresentados durante o ASCO 2020 Virtual Annual Meeting.

O trabalho investigou o uso de darolutamida em combinação com a ADT (androgen deprivation therapy) em homens com câncer de próstata resistente à castração não metastático (CPRCnm) e um tempo de duplicação de PSA menor ou igual a 10 meses. Foram randomizados 1.509 pacientes com CPRCnm 2:1 para DARO 600 mg 2x/dia (n = 955) ou placebo (PBO; n = 554), enquanto continuavam em ADT.

Os desfechos secundários foram avaliados em uma ordem hierárquica e incluíram SG e tempo para progressão da dor, primeira quimioterapia citotóxica e primeiro evento esquelético sintomático. A análise do SG foi planejada para ocorrer após aproximadamente 240 mortes.

Darolutamida melhorou significativamente a sobrevida global, com uma redução de 31% no risco de morte: HR 0,69 (IC 95% 0,53-0,88); P = 0,003. Além disso, atrasou significativamente o início da morbidade associada ao câncer e a quimioterapia subsequente. Os outros objetivos secundários (tempo para progressão da dor e tempo até o surgimento de SSEs) foram todos significativamente prolongados. Com acompanhamento prolongado, o perfil de segurança e a tolerabilidade foram favoráveis e consistentes com a análise primária do ARAMIS.

Saiba mais:
J Clin Oncol 38: 2020 (suppl; abstr 5514). DOI:10.1200/JCO.2020.38.15_suppl.5514
https://meetinglibrary.asco.org/record/187482/abstract

Send this to a friend