ANVISA aprova a combinação de nivolumabe e ipilimumabe para a indicação de 1ª linha de melanoma metastático

2 min. de leitura

Conforme publicado no Diário Oficial da União da data de ontem, segunda-feira, 18/12/2017, a ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária estendeu a bula do biológico Opdivo® (nivolumabe) para tratamento em monoterapia ou em combinação com Yervoy® (ipilimumabe) do melanoma avançado (irressecável ou metastático), com ou sem tratamento prévio.

A notícia, bem-vinda para os oncologistas e pacientes de câncer de pele, traz essa novas opção de tratamento e tem base em resultados de estudos recentes que demonstraram os dados positivos do uso de biológicos, que estão cada vez mais demonstrando serem uma evolução no tratamento do câncer.

Confira o comentário do Dr. Rodrigo Munhoz:

“Trata-se da primeira aprovação que contempla o uso combinado de bloqueadores de correceptores imunes para pacientes com melanoma avançado sem tratamentos prévios, independentemente do status da mutação do gene BRAF. Os principais dados que embasam a aprovação são provenientes do estudo CheckMate-067, no qual a combinação e ipilimumabe e nivolumabe ou nivolumabe em monoterapia foram comparados ao ipilimumabe como agente único. O uso concomitante do agente anti-PD-1 e anti-CTLA-4 resultou em taxa de resposta objetiva de quase 60%, com 39% dos pacientes livres de progressão em 3 anos.  Convém salientar, porém, que se trata de regime de tratamento associado a elevada incidência de eventos adversos imunomediados, alguns dos quais potencialmente graves. Além disso, até o momento, apesar do benefício em sobrevida livre de progressão, a análise exploratória de ipilimumabe e nivolumabe versus nivolumabe não demonstrou ganho estatisticamente significativo em sobrevida global”.

Rodrigo Munhoz é médico oncologista do Centro de Oncologia do Hospital Sírio-Libanês e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (FMUSP).

Send this to a friend