Dados de biópsia líquida para detectar alterações METex14 e amplificação de MET em pacientes com câncer de pulmão avançado são apresentados no AACR

2 min. de leitura

Biópsia líquida por análise de NGS tem se tornado uma alternativa não invasiva na detecção de alterações tumorais somáticas em pacientes com alterações em METex14 e amplificação de MET

Trabalho sobre o perfil de biomarcadores de pacientes rastreados com biópsia líquida (LBx) foi apresentado no AACR 2020. O estudo de fase 2 e braço único VISION (NCT02864992) avaliou o tepotinibe (um inibidor altamente seletivo de MET) em pacientes com câncer de pulmão não-pequenas células (CPNPC) com alteração em METex14.

Pacientes com CPNPC avançado e EGFR/ALK selvagens previamente confirmados foram rastreados prospectivamente quanto a alterações no MET, utilizando amostras de plasma coletadas durante a pré-triagem e triagem. O sequenciamento plasmático de DNA tumoral circulante (ctDNA) foi realizado em um laboratório central usando um painel de sequenciamento de 73 genes por NGS (next generation sequencing).

Dos 5.180 pacientes analisados, 694 (13,4%) não apresentaram mutação detectada. Apesar da intenção de rastrear pacientes EGFR/ALK selvagem, 327 (6,3%) apresentaram mutações em EGFR e 49 (0,9%) tiveram fusões ALK/ROS. Além disso, 188 (3,6%) tiveram alteração em METex14 e 256 (4,9%) tiveram amplificação MET porém sem alteração METex14.

A idade média dos pacientes com METex14 foi de 72 anos; 47% eram do sexo masculino; 46% nunca foram fumantes e 65% tiveram histologia de adenocarcinoma.

Nos pacientes com METex14, as coalterações drivers mais frequentes foram amplificação em MET (13,3%), EGFR (7,4%), CDK4 (6,4%), BRAF (5,3%) e CDK6 (4,8%) e mutações em GNAS (5,3%). Nos pacientes com amplificação de MET, as coalterações drivers mais frequentes foram CDK6 (60,5%), BRAF (43,4%), EGFR (28,9%), MYC (21,9%) e CCNE1 (19,9%). No geral, as mutações TP53 foram detectadas em 55,9% dos pacientes com METex14 e 79,7% dos pacientes com amplificação de MET.

Nesta população de pacientes com CPNPC com alteração em METex14, o biomarcador pode ser detectado com sucesso por meio de análise não invasiva de LBx, usando um painel NGS. A taxa de METex14 e o perfil genômico e demográfico dos pacientes foram semelhantes aos dados relatados anteriormente.

Em resumo, pode-se dizer que a biópsia líquida por análise de NGS tem se tornado uma alternativa não invasiva na detecção de alterações tumorais somáticas em pacientes com alterações em METex14 e amplificação de MET.

Referência:
Xiuning Le et al. Liquid biopsy to detect MET exon 14 skipping (METex14) and MET amplification in patients with advanced NSCLC: Biomarker analysis from VISION study. Session MS.CL11.02 – Circulating Tumor DNA for Patient Stratification. Abstract 3385
https://www.abstractsonline.com/pp8/#!/9045/presentation/3826

Send this to a friend