68Ga-PSMA-11 PET/CT e RNM multiparamétrica no câncer de próstata primário

3 min. de leitura

O estadiamento local do câncer de próstata depende, até o momento, de biópsias sistemáticas ou direcionadas por ressonância magnética multiparamétrica (mpRNM). O papel do PET PSMA na avaliação de focos de câncer intraprostático e do estadiamento T, por ora, não estão bem definidos

Durante o 2021 Genitourinary Cancers Symposium, foi apresentado um estudo que comparou o desempenho diagnóstico do PET PSMA, da ressonância magnética multiparamétrica (mpRNM) e a combinação dos dois (PET PSMA + mpRNM) na detecção, na localização intraprostática e na análise da extensão local do câncer de próstata primário com histopatologia como o padrão ouro. 

Os pacientes com câncer de próstata de risco intermediário ou alto foram submetidos ao PET PSMA e mpMRI antes da prostatectomia radical pretendida. Cada modalidade de imagem foi interpretada por três leitores independentes cegos. Uma abordagem padronizada foi empregada para avaliar presença, localização e tamanho dos focos de câncer intraprostáticos. Uma abordagem “rigorosa” e de “vizinhança” foi empregada para definir a correlação entre imagem e patologia para a detecção de focos de câncer de próstata.

 

Resultados: 

A análise final incluiu 74 pacientes. Para a identificação dos focos de câncer intraprostáticos, por meio de PET PSMA, mpRNM e PET PSMA + mpRNM, a taxa foi de: 

  • 75%, 79% e 82% usando a abordagem “rigorosa”;
  • 86%, 83% e 87% pela abordagem de “vizinhança”.

As diferenças entre os três braços não foram estatisticamente significativas. As duas modalidades de imagem tiveram um desempenho semelhante (area under the curve [AUC] = 0,70 versus 0,73, p = 0,09; AUC = 0,77 para as duas juntas) para a localização do câncer de próstata. O ΔAUC entre PET PSMA + mpRNM e as duas modalidades de imagem, por si só, foi estatisticamente significativo (p < 0,001), mas não entre PET PSMA e mpRNM (p = 0,093). A mpRNM teve melhor desempenho do que o PET PSMA na avaliação de estadiamento T: extensão extracapsular (AUC = 0,79 versus 0,59, p = 0,002) e invasão da vesícula seminal (AUC = 0,84 versus 0,63, p = 0,001).

Os autores concluem que o PET PSMA e a mpRNM têm acurácia diagnóstica semelhante na detecção e localização intra-prostática de focos de câncer, enquanto a mpRNM tem melhor desempenho na avaliação de extensão extracapsular e de invasão da vesícula seminal. Apesar da combinação dos métodos de imagem melhorar o desempenho em relação às duas sozinhas, isso não atingiu níveis estatisticamente significativos e, portanto, não justifica mudanças nas práticas atuais para estadiamento local do câncer de próstata. 

 

Referências:  

  1. Sonni I, et al. Head-tohead comparison of 68Ga-PSMA-11 PET/CT and mpMRI in the detection, intra-prostatic localization, and local extension of primary prostate cancer: A single-center imaging study with histopathology gold-standard. Abstract 193. 2021 Genitourinary Cancers Symposium. DOI:10.1200/JCO.2021.39.6_suppl.193

Aviso Legal: Todo conteúdo deste portal foi desenvolvido e será constantemente atualizado pela Oncologia Brasil, de forma independente e autônoma, sem qualquer interferência das empresas patrocinadoras e sem que haja qualquer obrigação de seus profissionais em relação a recomendação ou prescrição de produtos de uma das empresas. As informações disponibilizadas neste portal não substituem o relacionamento do(a) internauta com o(a) médico(a). Consulte sempre seu médico(a). 

Send this to a friend